Festival Comida de Favela começa hoje na Maré

Data:

2ª edição do Festival Comida de Favela começa nessa sexta, 3 de novembro, e promete um percurso gastronômico por 17 estabelecimentos gastronômicos mareenses

Quem ama Comida de Favela e a comida mareense, pode comemorar, que tem boa notícia nessa sexta-feira. Começa hoje o festival que reúne a tradição e a identidade da gastronomia mareense. Com pratos de R$ 2,50 a R$ 30,00, quem participar do festival poderá conhecer e votar nas receitas e estabelecimentos preferidos. Os vencedores do concurso receberão premiações de três a dez mil reais, nas categorias “Melhor Comida de Bar, Restaurante ou Pensão” e “Melhor Comida de Rua”.

Roteiro e visita guiada
O festival vai disponibilizar roteiros guiados com monitores-moradores da Maré, saindo de 2 pontos diferentes da Maré, aos sábados e domingos, às 12h. Os visitantes vão percorrer os pontos do Festival Comida de Favela e ainda conhecer histórias sobre a Maré ao longo do caminho. Pontos de encontro: Praça do Parque União e no ponto de ônibus da Vila do João (esquina com a Av. Brasil).
Informações via WhastApp: (21) 99723-5681.

Votação e premiação
A votação será composta metade por júri popular e a outra parte por meio da avaliação de 16 jurados –
entre chefes de cozinha, jornalistas, influenciadores, professores, cozinheiros, moradores da Maré e
de outras favelas do Rio de Janeiro e membros da coordenação do Festival. Haverá prêmios em
dinheiro para os três escolhidos em cada categoria, que serão conhecidos em uma festa, no Parque
União, com direito à roda de samba, no dia 2 de dezembro.


Perfil dos inscritos
Entre maio e junho de 2023, 110 bares e restaurantes se inscreveram para o processo seletivo do
festival, sendo 70,9% atuando com comida de bar e 29,1% com comida de rua, a maioria com pelo
menos mais de 10 anos de atuação no ramo. Sobre o perfil dos participantes: 46,4% são do Rio de
Janeiro e 30,9% são do Ceará, o que demonstra a grande força do Nordeste na Maré; o número de
empreendedores mulheres e homens foi igual (49,1% cada), sendo 61,6% de pessoas entre 30 e 49
anos; 53,6% se identificaram como brancos e 44,6% como negros e pardos; entre as favelas, tiveram
maior presença a Vila do João (21,5%) e o Conjunto Pinheiros (16,8%).

Um comitê curador escolheu 17 locais, entre bares e restaurantes, que receberam ainda uma
consultoria profissional personalizada para se aperfeiçoar e adentrar o festival com novas técnicas e
ferramentas para o negócio. Os critérios da seleção foram baseados em tradição e identidade do
estabelecimento na Maré; localização; diversidade do prato; qualidade da comida e disponibilidade
do empreendimento e do empreendedor em participar do processo.

O Festival Comida de Favela é realizado pela Redes da Maré em parceria com Prefeitura da Cidade do
Rio de Janeiro – Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro, ONS, RioGaleão e a Boca Rosa
Beauty. O projeto é fruto da experiência do projeto Maré de Sabores, que atua no fortalecimento de
grupos de mulheres, moradoras da Maré, através de qualificação profissional e geração de trabalho e
renda, além de liderar um negócio social, o Buffet Maré de Sabores. A primeira edição do festival foi
realizada em 2015 e contou com o apoio do edital Rumos Itaú Cultural.


Veja aqui os estabelecimentos, pratos e endereço dos participantes do Festival

Compartilhar notícia:

Inscreva-se

Mais notícias
Related

Sementes de Marielle; confira segunda parte da entrevista com Mãe da vereadora

Nessa segunda parte da entrevista, Marinete fala sobre as sementes deixadas por Marielle, do protagonismo de mulheres negras em espaços de poder e a partir do contexto do assassinato da vereadora, como acreditar em justiça.

‘Não há uma política de reparação’, diz Mãe de Marielle sobre vítimas do estado

Além de criticar o Estado e o Judiciário, que, em diversas instâncias, colaboraram pela impunidade do crime, Marinete aproveitou para reforçar o sonho que a família tem: inaugurar, via Instituto, o Centro de Memória e Ancestralidade