‘Mineiro da Maré’ promove ação social de saúde

Data:

Victor Aguiar veio de BH para cursar medicina e há oito meses iniciou o projeto ‘Blitz da Saúde’ no território

Por Samara Oliveira

O sonho de ser médico e o compromisso com a sua fé, foram os principais motivadores que impulsionaram Victor Aguiar, 32, a realizar ações sociais voltadas para a promoção da saúde no Conjunto de Favelas da Maré.

Morador do Salsa e Merengue, o estudante veio direto de Belo Horizonte, em Minas Gerais, com o sonho de se formar em medicina. Cursando o último período para a tão sonhada formação, no Centro Universitário Serra dos Órgãos (UNIFESO), Victor fez uma promessa no ponto turístico Dedo de Deus, que fica em frente a universidade. No juramento, o futuro médico afirmou que se conseguisse chegar no último ano de formação ia dedicar seu tempo a projetos sociais. 

Assim fez. Prestes a se formar, Victor foi para mais um dia de estágio no Hospital Federal de Bonsucesso, mas dessa vez, levou consigo suas malas, convicto em encontrar um lugar que pudesse cumprir sua promessa. Foi quando indicaram para ele o Conjunto de Favelas da Maré.

“Cheguei no Rio sem conhecer nada. Fui para o hospital, fiz os atendimentos e quando acabou o expediente peguei minhas malas. Eu não sabia para onde ir, mas sabia que eu tinha uma promessa feita a Deus que eu tinha que cumprir. Me falaram da Maré dizendo que era muito perigoso e entendi ‘é lá que eu vou, lá que tem gente que precisa'”, relembrou.

Assim que chegou, alugou uma kitnet na Vila do Pinheiro e começou a cumprir sua promessa realizando atendimentos de aferição de pressão e glicose com orientações básicas de saúde. Victor mora na Maré há oito meses e por conta das suas ações voltadas principalmente nas comunidades Baixa do Sapateiro, Vila do João, Vila do Pinheiro, Salsa e Merengue, já se tornou um rosto conhecido pela vizinhança. 

“Fui criado pela minha mãe que é a base de família pra mim. Ela me ensinou a ser homem de palavra e sempre me incentivou a ajudar as pessoas”, disse Victor.

Foto: Gabi Lino

As ações sociais

Tocando sua iniciativa e cumprindo sua promessa, Aguiar coloca uma tenda com mesa e cadeiras nas principais ruas das comunidades. Mas se engana quem pensa que o futuro médico apenas espera o interesse dos moradores em irem até a ele. “Eu sou comunicativo, gosto de falar, então não tenho dificuldade de abordar. As pessoas vão passando e eu vou convidando para uma conversa. Elas chegam com receio, mas mostro que o trabalho é social. É bem legal”, explicou.

Chegando a realizar 700 atendimentos em um final de semana no Salsa e Merengue, Victor resolveu dar um nome para sua iniciativa: Blitz da Saúde. No entanto, lamenta a falta de patrocínio visando que a quantidade de atendimentos e pessoas assistidas poderiam dobrar com recurso para materiais. 

Questionado sobre de que forma essa iniciativa agrega para além do cumprimento da promessa, Victor enfatizou: “Saber lidar com o sentimento das pessoas. Infelizmente hoje a medicina e os médicos têm simbologia de Deus, são profissionais robotizados que não tem empatia, não tem amor e não consegue sentir a dor do próximo. Eu quero ser aquele profissional de 1%, que é o que consegue olhar e sentir a dor, que consegue acreditar em 1% no meio de um diagnóstico ruim. Meu objetivo de vida é acreditar nas pessoas e trabalhar para mostrar também para os jovens da Maré que existe um mundo fora da Maré”. 

Foto: Gabi LIno

Compartilhar notícia:

Inscreva-se

Mais notícias
Related

Clube de Futebol faz ‘vakinha’ para disputar torneio em São Paulo

No ano passado, com ajuda dos pais dos atletas, o clube disputou a Taça São Paulo na categoria sub 15, este ano o pensamento do clube é participar também na categorias sub 17

Jornada de mães como empreendedoras esbarra em desigualdades sociais e raciais

Segundo o Censo de Empreendimentos da Maré, publicado pela Redes da Maré em 2014, cerca de 40% dos empreendimentos da Maré são administrados por mulheres