Réveillon Rio 2021 é cancelado em função da pandemia da covid-19

Data:

O cancelamento se dá em respeito às pessoas que faleceram em decorrência ao novo coronavírus

Por Edu Carvalho, em 15/12/2020, às 19h05
Editado por Andressa Cabral Botelho

A Prefeitura do Rio, por meio da Riotur, informa que o réveillon oficial da cidade do Rio de Janeiro está cancelado em função do atual cenário da pandemia da covid-19. Embora o Réveillon Rio 2021 tenha sido projetado em um novo formato, diferente do tradicional, como há anos é praticado na cidade, a festa da virada seria sem a presença de público e queima de fogos e aconteceria em pontos turísticos. O evento poderia ser acompanhado pela TV e mídias digitais, mas, neste momento, a Prefeitura optou pelo cancelamento do evento em respeito a todas as vítimas e em favor da segurança de todos. 

“Quando anunciamos o novo modelo para o Réveillon Rio 2021, falamos em responsabilidade social. O nosso discurso permanece. O motivo do cancelamento nada mais é que uma decisão consciente e responsável”, afirmou o presidente da Riotur, Fabricio Villa Flor. Além de Copacabana, a celebração mais tradicional da cidade, outros oito locais também têm palcos montados pela prefeitura, como o Piscinão de Ramos, na Maré.

“Esta é uma decisão necessária para a proteção de todos. A festa será a da esperança por bons resultados das vacinas para conter a pandemia. Será ainda um momento de reflexão sobre um ano difícil, de luta, com lamentáveis perdas de tantas pessoas. E será também hora de dar graças a Deus pelas vidas salvas”, concluiu o prefeito Marcelo Crivella. Sobre festas particulares e eventos na orla, a Prefeitura reforça que as aglomerações estão proibidas e que as regras de ouro de distanciamento ainda estão em vigor.

No momento, a cidade do Rio está em crescente no número de casos e mortes pelo novo coronavírus: são 151.893 casos e 14.015 mortos confirmados desde o início da pandemia até esta terça-feira, dia 15 de dezembro. Até o momento, 329 pessoas aguardavam por transferência para leitos na capital e na Baixada Fluminense, sendo 185 para leitos de UTI de covid-19.

Compartilhar notícia:

Inscreva-se

Mais notícias
Related

Sementes de Marielle; confira segunda parte da entrevista com Mãe da vereadora

Nessa segunda parte da entrevista, Marinete fala sobre as sementes deixadas por Marielle, do protagonismo de mulheres negras em espaços de poder e a partir do contexto do assassinato da vereadora, como acreditar em justiça.

‘Não há uma política de reparação’, diz Mãe de Marielle sobre vítimas do estado

Além de criticar o Estado e o Judiciário, que, em diversas instâncias, colaboraram pela impunidade do crime, Marinete aproveitou para reforçar o sonho que a família tem: inaugurar, via Instituto, o Centro de Memória e Ancestralidade