Rodas culturais da Maré são símbolos de resistência do Hip-hop

Data:

O movimento é impulsionado por coletivos de jovens que tem o Hip-Hop como estilo de vida

Maiara Carvalho*

A cultura do Hip-hop surge na década de 70 nos Estados Unidos, construída por jamaicanos, afro-americanos e latinos imigrantes, que sentiam na pele a negligência de políticas públicas com a sua população. Brevemente, o movimento se popularizou também aqui no Brasil, e até os dias de hoje segue sendo um símbolo de resistência dentro das periferias e favelas do país.  

O movimento conta com quatro principais linguagens, que são marcadas pela forma única de se expressarem culturalmente, sendo elas: grafitte, DJs, MCs e o break dance. Todas elas, são elementos que possibilitam a arte como ferramenta de evidenciar aquilo que se vive em sociedade enquanto indivíduo. 

No território da Maré, o movimento é impulsionado por jovens que têm o Hip-hop como estilo de vida. Ao longo dos anos, foram criados, coletivamente,  espaços que tornassem possível falar e mostrar o que é ritmo e poesia dentro da favela. 

Roda Cultural do Pontilhão

A RCP (Roda Cultural do Pontilhão) surge em 2022 através de um coletivo de jovens, que em contexto pós-pandemia decidiram dar continuidade às  ‘Batalhas do Pontilhão’ que aconteciam alguns anos antes, agora com uma nova proposta. 

Na linha de frente da RCP, temos o DJ Mike, morador da Baixa do Sapateiro, que atua como representante, curador e, claro, DJ residente. Para ele, fazer parte desse movimento tem um grande impacto na sua vida: “A expressão da arte na música me fez uma pessoa melhor, trazendo novos hábitos e convivência, aprendendo a enxergar com novas visões. Através do Hip Hop presenciei momentos muito bons que me tornaram o que eu sou.”

No momento, a Roda Cultural do Pontilhão acontece de maneira totalmente independente, mas já é capaz de desempenhar papel fundamental na vida de artistas e amantes da cultura, que aprimoram cada vez mais o sentido de coletividade e união. 

Roda Cultural do Parque União 

Cria do Parque União, Deiv, idealizador da RCPU (Roda Cultural do Parque União), surge na cena do Hip-hop por meio dos movimentos culturais que ocorriam em bairros vizinhos, ainda em 2016. Desde então, já lançou oito músicas de forma independente em seus canais de comunicação. Para ele, a originalidade, persistência e versatilidade são peças fundamentais nas suas rimas, assim como também possibilita transitar por diversos ritmos musicais, em busca de reflexões sobre o cotidiano e abordagem de críticas sociais. 

Sentindo a necessidade de trazer espaços culturais para dentro do território, e não somente buscar em outros lugares da cidade, Deiv e amigos decidiram, em 2017, criar a Roda Cultural do Parque União, em uma área de lazer que antes estava abandonada. “As rodas culturais vieram para manter a voz do Hip-hop viva. Dando voz e oportunidade para todos e unindo os 4 elementos.” A partir daí, o movimento passou a reunir, a cada 15 dias, jovens, adultos e crianças que, de alguma maneira, se sentiram abraçados pela cultura do Hip-hop. 

7 anos de luta

No mês de Abril, a RCPU completou 7 anos de luta, e para comemorar, na última sexta (19) ocorreu uma confraternização, desta vez, em endereço diferente; no Centro de Artes da Maré. O evento contou com a participação de DJs e artistas locais,  além de lançamentos, pockets shows e muita batalha de rima, com direito a premiação.

(*) Maiara Carvalho é estudante de Rádio e TV da Universidade Federal do Rio de Janeiro e faz parte do projeto de Extensão Conexão UFRJ com o Maré de Notícias.

Compartilhar notícia:

Inscreva-se

Mais notícias
Related

EDI na Maré se destaca por acolhimento na primeira infância

O Espaço de Desenvolvimento Infantil (EDI) Profª Kelita Faria de Paula, localizado no Conjunto Bento Ribeiro Dantas se tornou uma referência ao falarmos de “lugar de escuta”

Clube de Futebol faz ‘vakinha’ para disputar torneio em São Paulo

No ano passado, com ajuda dos pais dos atletas, o clube disputou a Taça São Paulo na categoria sub 15, este ano o pensamento do clube é participar também na categorias sub 17