Ronda: Com aumento da vacinação, Maré não registra mortes por covid-19 em 15 dias

Data:

Manguinhos e Maré vivem novo momento na pandemia com o aumento da imunização no território

Por Edu Carvalho, em 02/07/2021 às 17h. Editado por Dani Moura.

Os epidemiologistas já acenavam: com um aumento da vacinação, diminuiria em níveis municipais, estaduais e nacional o número de mortes pela covid-19. Dois exemplos desta ação são o Conjunto de Favelas da Maré e Manguinhos. 

Quem comprova o feito é o mais novo Boletim Conexão Saúde, que apresenta o panorama geral dos casos, óbitos e vacinação a partir de fontes oficiais e  das informações produzidas pela testagem, pelos atendimentos médicos e  pelo Programa de Isolamento Domiciliar Seguro nessas favelas. Mas mesmo tendo queda no número de mortes,  Maré e Manguinhos tiveram aumento significativo de infecções. Segundo as análises, só a Maré teve um aumento de cerca de 90% dos novos casos no mês de junho em relação a maio. 

No último mês, o Brasil registrou mais de 25 milhões de aplicações da primeira dose da vacina, representando cerca de 34% da população. Mas ainda há muito o que caminhar, visto que só 13% da população recebeu a segunda dose. A Maré encontra-se com 26,2% da população imunizada com a primeira dose e 6,5% da população imunizada com a segunda dose ou com a dose única da vacina. 

O boletim é uma publicação do projeto Conexão Saúde, uma iniciativa da Redes da Maré, Fiocruz, Dados do Bem, SAS Brasil, Conselho Comunitário de Manguinhos e União Rio. Para acessar, clique aqui

Covid-19 na Maré

De acordo com o Painel Unificador COVID-19 Nas Favelas, o Conjunto de Favelas da Maré é o 1º lugar nos registros de óbitos e casos dentre as comunidades cariocas. Ao todo, são 6269 casos (aumento de 613 casos na última semana) e 292 mortes no território. Na lista, ainda permanecem em ordem como principais pontos de infecção e óbitos: Rocinha (3.298 casos/127 mortes), Alemão (2.472/141 mortes), Fazenda Coqueiro (2.420 casos/205 mortes) e Complexo do Lins (1.757 casos/143 mortes). 

Rio sem espera para leitos covid-19 e vacinação antecipada

Há três semanas sem registrar pacientes esperando mais de 24 horas por um leito voltado para a assistência de quadros de covid-19, o Município do Rio zerou a fila de espera por esse tipo de leito. Outro indicativo da redução da demanda por leitos na capital é a taxa de ocupação das unidades de saúde, que passou de 96% em maio para 77% nesta virada de mês. Enquanto em 27 de junho havia 1.002 pacientes internados na cidade, a última quinta-feira (1) registrou 726 – uma queda de 27,5%. Esses são dados disponibilizados pelo Boletim Epidemiológico do Rio de Janeiro, divulgados hoje, sexta-feira (02/7). 

Além do número de pessoas infectadas pelo coronavírus com quadros graves precisando de internação e as já hospitalizadas, mais um dado que evidencia a redução do ritmo da pandemia no Município do Rio: a redução de óbitos, que caiu 44% em relação a maio. Apesar desses dados, o grau de risco para transmissão de covid-19 na cidade ainda é alto, e, para que regridir, é fundamental manter os cuidados de etiqueta respiratória, uso de máscara, distanciamento social e higienização das mãos.

O principal motivo para a desaceleração da pandemia no Município do Rio é o avanço da vacinação. Ontem, quinta-feira (01), o prefeito Eduardo Paes anunciou mais uma antecipação do calendário: até a primeira quinzena de julho, serão vacinadas as pessoas a partir de 37 anos. Até agosto, toda população carioca adulta terá recebido pelo menos a primeira dose da vacina contra covid-19. A expectativa é que, quanto mais a vacinação avance, os efeitos positivos sejam percebidos pela redução de casos, internações e óbitos gradativamente em cada faixa etária. “Os efeitos da vacinação são claros. Começamos a ver uma redução expressiva da doença, mas temos que manter a cautela porque temos um número alto de transmissão. Ainda é o momento de manter os cuidados, usar máscara e evitar se aglomerar ou se expor desnecessariamente”, comentou nesta sexta-feira (02) o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, durante coletiva de divulgação do 26º Boletim Epidemiológico da Covid-19.

Até o momento, o município do Rio soma 368.354 casos de covid-19, com 28.731 óbitos. Em 2021 são 156.555 casos e 9.953 mortes. A taxa de letalidade deste ano está em 6,4%, contra 8,9% em 2020; e a de mortalidade, em 149,4 a cada 100 mil habitantes, contra 281,9/100 mil no ano passado. A incidência da doença é de 2.350,2/100 mil, quando em 2020 era de 3.179,5/100 mil.

Não custa lembrar, masvacina boa é a que está no posto. Chegando seu momento, vacine-se. 

E lembre sempre: #UsaMáscaraMorador

Brasil melhora nas taxas de ocupação de leitos de UTI para coronavírus

De acordo com a mais recente edição do Boletim Observatório Covid-19 Fiocruz, divulgada nesta semana, o momento atual da pandemia no país indica tendência de melhora nas taxas de ocupação de leitos de UTI covid-19 para adultos no Sistema Único de Saúde (SUS). O estudo também sinaliza uma queda nos índices de mortalidade, mas evidencia que o país enfrenta um alto platô de transmissão, em patamar muito superior ao observado em meados de 2020. O número de casos oscilou ligeiramentente, com queda de 0,2% ao dia, enquanto o de óbitos teve queda de 2,5% ao dia. Para ler mais, acesse.

Até o fechamento desta edição da Ronda, o país contabilizava 520.189 óbitos e 18.622.199 casos, segundo o consórcio de veículos de imprensa (Globo, Jornal O Globo, Extra, Folha, Estado de São Paulo, G1 e UOL).

Favela com dignidade

Pela primeira vez, 23 secretarias e órgãos públicos da Prefeitura do Rio – coordenados pela Secretaria Especial de Ação Comunitária (SEAC) – levaram em conjunto a uma comunidade serviços essenciais para a população. Lançado no fim de junho, o programa Favela com Dignidade estará em Manguinhos, local escolhido para inaugurar a ação integrada – que se estenderá para outras comunidades cariocas – seguindo critérios técnicos, como o de Índice de Desenvolvimento Social (IDS). A iniciativa em breve pretende chegar às comunidades da Maré. 

Maré de cultura

A cantora Bieta lança neste primeiro sábado de julho (03/07), o videoclipe do single Divina Realeza, uma obra musical dedicada e inspirada na rica Herança Africana Diaspórica. A música é uma produção realizada no Guettu Music Camp da aceleradora artística  Duto, conta com a  participação da artista nigeriana Okwei Odili e arranjo do Mestre Glaucus Linx. Ative o sininho para escutar

Quem também está com música nova na praça é a banda de rock Anjo dos Becos, com o single “Se Você Viesse”, já disponível em sua plataforma de música favorita. Com a supervisão técnica do lendário Produtor Roy Cicala, que já trabalhou com lendas da música mundial como John Lennon, Kiss, The Who e Aerosmith, o single possui as participações especiais do guitarrista Joe Klenner (Corazones Muertos) e Apollo 9 (Planet Hemp) no Hammond, sendo gravado no Electro Sound Studio por Marcão Britto (Charlie Brown Jr) e André Farias. Ouça 

O IMS apresenta o espetáculo audiovisual Metamorfoses, protagonizado pela cantora Filipe Catto. O vídeo pré-gravado estará disponível no YouTube do IMS a partir de amanhã, às 21h. Neste dia e horário, Catto e o curador de música do IMS, Juliano Gentile, estarão no chat ao vivo do YouTube do IMS comentando a obra e interagindo com o público. A ação faz parte da programação da Paulista Cultural. 

O festival brasileiro Novas Frequências assina com o suíço Sonic Matter e o ugandense Nyege Nyege a curadoria do In/Out, festival online que começa hoje com a presença de artistas africanos, europeus e sul-americanos, como nossa conterrânea Badsista. #DicaDoMeio

O Theatro Municipal do Rio de Janeiro apresenta duas óperas em formato audiovisual nesse fim de semana: Armida Abbandonata, de Händel, hoje, e Arianna a Naxos, de Haydn, amanhã. #DicaDoMeio

Veja o que foi destaque nesta semana no Maré de Notícias! 

Segunda-feira (28/6)
Calendário de vacinação contra a Covid-19 é antecipado para pessoas de 47 a 43 anos; saiba os dias, por Edu Carvalho
Movimentos culturais LGBTQIA+ da Maré, por Dinho Costa e Matheus Affonso
Árvore promove congresso gratuito “Conversas que transformam” com participações de Flávia Oliveira, Conceição Evaristo Drauzio Varella e Leandro Karnal, por Redação

Terça-feira (29/6)
O valor do aleitamento, por Ana Clara Costa

Quarta (30/6)
A Maré pulsando arte e cultura, por Hélio Euclides
Grávidas e puérperas que receberam 1ª dose da Astrazeneca poderão ter 2ª dose da Pfizer; capital fluminense é a primeira na combinação de vacinas contra covid-19, por Edu Carvalho
Projetos da Maré e Cidade de Deus recebem apoio da Fiocruz para enfrentamento à pandemia, por Edu Carvalho

Quinta-feira (01/7)
Ministro Fachin autoriza MPF apurar se houve descumprimento da ADPF das favelas nas operações no Rio, por Edu Carvalho
‘Sapas contra Covid-19’, por Edu Carvalho
Conceição Evaristo, Ailton Krenak, Anielle Franco e Nego Bispo lançam livro juntos, por Dani Moura

Sexta-feira (02/7)
Presidentes de associações de moradores da Maré formam fórum para pensar soluções para o lixo, por Hélio Euclides
Rio antecipa datas de vacinação contra covid-19; confira; por Edu Carvalho
Vacinas contra a Covid-19: o que é mito e o que é verdade?, por Redação

Compartilhar notícia:

Inscreva-se

Mais notícias
Related

Festas juninas colorem as ruas da Maré e marcam a vida dos moradores

Festas juninas celebram a cultura do nordeste e a fé popular no território composto por 25% de nordestinos e quase 48% de autodeclarados católicos.

Entenda o Projeto de Lei que equipara aborto em casos de estupro a homicídio 

O Projeto de Lei 1904/2024, chamado de “PL da Gravidez Infantil” ou “PL do Aborto”, equipara o aborto após a 22ª semana de gestação ao crime de homicídio, criminalizando mulheres e profissionais de saúde envolvidos no procedimento.