Ronda Coronavírus: 12 casos de Covid-19 na Maré

Data:

Governo do RJ inaugura primeiro hospital de campanha, prefeitura prevê dois hospitais

A Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro informa que registra, até esta sexta-feira, 24 de abril, 6.282 casos confirmados e 570 óbitos por coronavírus no estado. Há ainda 237 óbitos em investigação. São 4.091 casos na cidade do Rio de Janeiro. De quinta, 23 de abril, para esta sexta, 24 de abril, foram confirmados mais 26 casos de Covid19 nas favelas do Rio, totalizando 147 casos, e 20 óbitos. A Maré registrou mais uma confirmação, de acordo com o Painel Rio Covid19, nesta sexta-feira. São 12 os casos de coronavirus confirmados na Maré, 4 óbitos e 4 pessoas recuperadas.
O Governo do Estado inaugura hoje, sábado (25/04), o primeiro hospital de campanha do Estado do Rio dedicado exclusivamente a pacientes do SUS infectados pela Covid-19. A estrutura, foi erguida em 19 dias num terreno ao lado do 23º BPM, no Leblon, oferecerá 200 leitos (100 deles de UTI) e será operado pela Rede D´Or. Inicialmente, serão abertos 30 leitos, sendo 10 de UTI.
Já a prefeitura, anunciou ontem, sexta-feira, 24 de abril, que está prevista para 1º de maio, a inauguração do Hospital de Campanha da Prefeitura, no Riocentro. O hospital que começará a funcionar e receber os pacientes infectados pelo novo coronavírus, tem 100 leitos de UTI e mais 400 de clínica médica.
Mais uma morte nas favelas cariocas. Rodrigues Moura, reconhecido como o primeiro fotógrafo do Complexo do Alemão, faleceu nesta quinta-feira com suspeita de COVID-19. Nas redes sociais a filha do fotógrafo, Priscila Moura, deixou a seguinte nota: “É com muito pesar, com o coração destruído que Priscilla Alves de Moura filha do Seu Rodrigues informa aos parentes e amigos que meu pai faleceu nessa madrugada de quinta para sexta”.

Compartilhar notícia:

Inscreva-se

Mais notícias
Related

Ativista e jornalista da Maré no G20

Do Conjunto de Favelas da Maré à conferência da 19a reunião de cúpula do G20, a trajetória de Kaya Bee, moradora da Nova Holanda é um exemplo inspirador na luta por um futuro mais justo e sustentável. Aos 27 anos, mãe, ativista climática e estudante de jornalismo, ela carrega a força e a resiliência de quem enfrenta os desafios da vida na favela com a determinação de transformar a realidade para os mareenses.