Ronda Coronavírus: UPA da Maré funciona sem médicos nesta terça

Data:

13 casos confirmados e pelo menos 25 suspeitos na Maré. Associação de moradores da Praia de Ramos recomenda isolamento. Prefeitura oferece assistência à profissionais de saúde.

A Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro informa que registra, até esta terça-feira 28 de abril, 8.504 casos confirmados e 738 óbitos por coronavírus. Há ainda 259 óbitos em investigação. São 5.554 pessoas infectadas só na cidade do Rio de Janeiro. As favelas da cidade reúnem 164 casos, 10 novos. De acordo com o Painel Rio Covid19 são 13 casos na Maré, um novo caso foi registrado. Porém, de acordo com relatos de moradores são pelo menos 20 casos suspeitos. A onda de subnotificação que acontece na cidade também é sentida na Maré. Nesta terça-feira, moradores que buscaram atendimento na UPA na Maré foram surpreendidos pela ausência de médicos na unidade que é a única que atende às 16 favelas da região. 

A associação de moradores da Praia de Ramos e Roquete Pinto tem orientado comerciantes à fecharem as portas e moradores à irem para casa às 18h, para evitar a disseminação do vírus no local. A recomendação é que apenas farmácias funcionem a partir das 19h e que às pessoas usem máscaras nas ruas e dentro dos estabelecimentos, de acordo com o decreto da prefeitura. A ação teve início depois do aumento de casos suspeitos e óbitos nas favelas. Moradores relataram aglomeração na Vila Olímpica da Maré nesta terça-feira, cerca de 50 pessoas puderam ser vistas no local.  

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS), iniciou nesta segunda-feira, 27, o projeto “Saúde na escuta” para oferecer assistência psicológica aos profissionais da rede municipal de Saúde que estão na linha de frente do combate à pandemia de coronavírus. O atendimento irá acontecer por telefone ou videoconferência, todos os dias da semana, 12 horas por dia, com duração de três meses. Cerca de 30 profissionais atuam no projeto. O profissional interessado deverá acessar este link para cadastro e solicitar o atendimento.O programa “Mães da Favela”, desenvolvido pela Central Única das Favelas (CUFA), ganhou a chancela institucional da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO). A CUFA mobilizou mais de R$ 50 milhões, neste programa que já contempla mais de 25 mil mulheres, em todo o Brasil, com 50 mil “Vales Mãe” de R$ 120. Mais informações estão disponíveis no site www.maesdafavela.com.br/

Compartilhar notícia:

Inscreva-se

Mais notícias
Related

Ativista e jornalista da Maré no G20

Do Conjunto de Favelas da Maré à conferência da 19a reunião de cúpula do G20, a trajetória de Kaya Bee, moradora da Nova Holanda é um exemplo inspirador na luta por um futuro mais justo e sustentável. Aos 27 anos, mãe, ativista climática e estudante de jornalismo, ela carrega a força e a resiliência de quem enfrenta os desafios da vida na favela com a determinação de transformar a realidade para os mareenses.