Uma bicicleta que leva livros e promove inclusão social

Data:

Escola da Maré dá exemplo de inclusão e cria memórias afetivas dos alunos com a ‘bicibiblioteca

Uma bicicleta e várias possibilidades. Desde uma biblioteca itinerante que vai da Zona Norte a Zona Sul até a inclusão e atração principal das aulas de educação física em uma escola na Maré. A Bicibiblioteca, é uma ação que além de levar livros para diferentes espaços da cidade, faz a alegria das crianças da Escola Municipal Tetônio Vilela, localizada no Conjunto Esperança, uma das favelas do Conjunto de Favelas da Maré. 

A escola Teotônio Vilela tem 37 pessoas com deficiência matriculadas. Conta com duas salas de recursos multifuncionais e sete profissionais de atendimento educacional especializado. A inclusão se tornou naturalmente um pilar da escola que é referência na localidade.  A pequena Pietra de 10 anos, aluna do quinto ano, diz que andar de bicicleta “é incrível!” e acrescenta: “aqui posso andar com meus amigos, eu nunca tinha andado numa bicicleta dessas”.  A mãe de Pietra, Juliana Mesquita, é uma das coordenadoras do grupo Especiais da Maré e conta que sua filha ama curtir a vida: “fico imensamente feliz dela poder participar e ter essa sensação de pertencimento junto com seus colegas.” comemora.

A princípio, a bicicleta faria parte do espaço de leitura da escola, mas quando os alunos demonstraram interesse em usar o equipamento, os educadores viram uma oportunidade de incluir também nas aulas de educação física. A gestora escolar Simone Aranha conta que mesmo encontrando algumas barreiras na educação inclusiva os docentes da instituição continuam : “a gente o tempo todo está em busca de mais [atividades] porque as crianças precisam, é mostrar que é importante e que eles podem.” Todos os alunos usam a bicicleta durante as aulas de educação física com a supervisão dos professores.

Os caminhos da leitura

A monitora da bicicleta, e responsável por repassar a doação, é a artista Lauane Silva, de 35 anos, ela conta que durante cinco meses rodou com a bicicleta por ONGs do território como a Redes da Maré, Luta Pela Paz e o Instituto Vida Real, além de doar e trocar livros nas feiras e aos domingos ir para a orla de Copacabana com a Bicibiblioteca. No fim do projeto a bicicleta foi doada para o grupo Especiais da Maré com o objetivo de circular pelas escolas do bairro promovendo a inclusão.  “No fim do projeto a bicicleta tinha que ser doada para uma ONG, então eu escolhi doar para essa pelo trabalho com crianças com deficiência e por ser aqui do Pinheiro”.

Compartilhar notícia:

Inscreva-se

Mais notícias
Related

EDI na Maré se destaca por acolhimento na primeira infância

O Espaço de Desenvolvimento Infantil (EDI) Profª Kelita Faria de Paula, localizado no Conjunto Bento Ribeiro Dantas se tornou uma referência ao falarmos de “lugar de escuta”

Clube de Futebol faz ‘vakinha’ para disputar torneio em São Paulo

No ano passado, com ajuda dos pais dos atletas, o clube disputou a Taça São Paulo na categoria sub 15, este ano o pensamento do clube é participar também na categorias sub 17