Mostra Maré de Música volta ao formato presencial

Data:

Projeto da Redes da Maré promove encontros musicais entre artistas renomados e periféricos

Por Jéssica Pires, em 27/05/2022 às 07h. Editado por Edu Carvalho

Todo domingo tem pagode rolando na Maré em dois pontos muito conhecidos: a Rua Roberto da Silveira, no Parque União e a Via A1, na Vila dos Pinheiros. Os grupos Fundamental e No Lance reúnem semanalmente muitos moradores, e uma galera vem de fora para curtir as apresentações. Mas na última sexta-feira (20/5), o encontro desses dois nomes da música local aconteceu no Centro de Artes da Maré (CAM), junto com o grupo “Vou pro Sereno” e a potente Marcelle Motta. Essa reunião de artistas foi promovida pela primeira Mostra Maré de Música presencial, após dois anos sem com que o evento pudesse acontecer recebendo os convidados no espaço.

A edição reuniu mais de trezentas pessoas, que durante o auge da pandemia ficou destinado às ações de enfrentamento à pandemia. Cristiane Conceição (45), e Raquel Modesto (35), ambas moradoras da Nova Holanda, foram as primeiras da fila a chegar para garantir a entrada. ”Sou muito fã do vou pro sereno, já fui para cinco shows. E esse horário é ótimo pra gente que dorme cedo. Muito legal essa iniciativa da Redes”, comentou Cristiane. O evento contou também com a presença de MC Martina como mestre de cerimônias e as delícias do bufê mareense Maré de Sabores.

“Também temos mais coisas pra mostrar”

William Oliveira, integrante do grupo “No Lance” e produtor da Lona Cultural Municipal Herbert Vianna, chamou a atenção para o evento visibilizar a arte na favela, quando o comum é que questões negativas e relacionadas à segurança pública são as que têm sempre mais evidência. “Você acaba realizando sonhos do artista periférico, de ver de perto o ídolo, de colher comportamento, de colher como o cara conta histórias, backstage. Isso tudo é muito bacana para a carreira de quem está começando ou de quem já tem até um trabalho, mas não aconteceu nacionalmente ainda. Traz força para o trabalho”, acrescentou.

Mostra Maré de Música com shows de Grupo Fundamental, No Lance, Marcelle Motta e Vou Pro Sereno. Foto © Douglas Lopes

Encontros musicais inéditos

Dessa vez foi pagode, mas assim como a Maré, a Mostra Maré de Música pulsa diversidade. Projeto criado em 2019, a iniciativa visa criar conexões musicais potentes ao público da Maré e de toda a cidade, com uma qualidade indiscutível, garantida por uma equipe local. A conexão se dá através de shows que unem artistas independentes e periféricos, junto a um já ‘consagrado’. Desde o início, a Mostra tem revelado novas sonoridades e conectado artistas e públicos de diversos espaços, além de firmar a Maré como palco alternativo da cena musical carioca.

O projeto já promoveu encontros presenciais entre diversos artistas, como Mart’nália, Letrux, Anelis Assumpção, MC Marechal, Duda Beat e Liniker. E de nomes da cena independente como Joca, Mc Natalhão, Pra Gira Girar, entre outros. Durante a pandemia, os shows aconteceram por meio de “lives” no youtube da Redes da Maré. A Mostra Maré de Música é contemplada pela Lei de Incentivo à Cultura e patrocinada pelo Instituto Cultural Vale e Itau e tem co-realização da Funarte.

O que vem pela frente?

Na programação, o próximo a se apresentar na Mostra é o rapper Rico Dalasam, que divide palco com a multiartista Kae Guajajara, rapper indígena que é moradora da Maré desde os sete anos – com show previsto para junho. Já para o mês de agosto, Mariana Aydar, cantora de forró vencedora do prêmio Grammy Latino e o grupo local 3 forrozeiros. Os detalhes sobre as próximas edições serão divulgados nas redes sociais da Redes da Maré e da Mostra Maré de Música. 

Compartilhar notícia:

Inscreva-se

Mais notícias
Related

EDI na Maré se destaca por acolhimento na primeira infância

O Espaço de Desenvolvimento Infantil (EDI) Profª Kelita Faria de Paula, localizado no Conjunto Bento Ribeiro Dantas se tornou uma referência ao falarmos de “lugar de escuta”

Clube de Futebol faz ‘vakinha’ para disputar torneio em São Paulo

No ano passado, com ajuda dos pais dos atletas, o clube disputou a Taça São Paulo na categoria sub 15, este ano o pensamento do clube é participar também na categorias sub 17