Ronda Maré de Notícias: Vacinação pode começar até março de 2021

Segundo a presidente da Fiocruz, Nísia Trindade, a produção da vacina está prevista para começar entre janeiro e fevereiro

A pesquisadora e presidente da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Nísia Trindade, anunciou nesta nesta segunda-feira (2) que a vacinação contra a Covid-19 no Brasil começa até março. A expectativa é que a vacina, formulada pela Universidade de Oxford e da farmacêutica AstraZeneca, com parceria da Fiocruz, seja produzida entre janeiro e fevereiro. O imunizante ainda está em testes e após a aprovação, a sua produção será acompanhada pela Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Durante a declaração, a presidente da fundação anunciou também que não haverá vacinação em massa e que será necessário escolher um critério para que a vacinação ocorra. No primeiro semestre de 2021 serão produzidas cerca de 100 milhões de doses com a importação de insumos. A partir do segundo semestre, a Fiocruz passa a produzir de forma independente, já que parte do acordo era a transferência da tecnologia da produção da vacina da AstraZeneca para a Fiocruz. 

A declaração sobre a vacina foi dada por Nísia no Cemitério do Caju, durante inauguração da Pira da Esperança, onde a chama ficará acesa até que alguma vacina para covid-19 seja concluída. Simbolicamente, a chama atua como agente que vai iluminar os pesquisadores até chegarem ao final do desenvolvimento da vacina. “Esse é um ato muito importante pela afirmação do papel da ciência, de uma mensagem de esperança e solidariedade. A função da Fiocruz é trabalhar com a ciência para que essa mensagem de esperança se dê através da vacina, dos testes e de uma visão integral do Sistema Único de Saúde (SUS)”, afirmou Nísia após a cerimônia.

Covid-19 no Rio

Nesta semana, o prefeito e candidato à reeleição Marcelo Crivella, anunciou medidas que reduzem as restrições durante a pandemia. Dentre elas, está liberado que banhistas permaneçam na areia, aluguel de cadeiras e guarda-sóis e venda de bebidas alcoólicas na areia, algo que na prática já acontecia desde a liberação do banho de mar sem permanência. Além desses pontos, restaurantes self-services e casas de festas estão liberadas para voltar a funcionar, assim como creches e escolas da rede municipal de ensino. No caso dos espaços educacionais, ainda não há uma data para o retorno e essa volta fica a critério da comunidade escolar.

A justificativa para as atuais liberações é, segundo análise feita pela prefeitura, o controle da curva de contágio da cidade. De acordo com o painel da prefeitura, ao longo dos últimos 30 dias, a cidade vem em um momento que varia entre estabilidade e queda nos números de casos. Desde o início da pandemia, a cidade do Rio registrou até esta quinta-feira (05) 120.802 casos confirmados e 12.268 mortes pelo novo coronavírus. A Maré tem 1.943 casos e 162 mortes, entre confirmados e autodeclarados, de acordo com o Painel Unificador Covid-19 nas Favelas.

Educação na pandemia

Foi lançado nesta semana o ebook Fraturas expostas pela pandemia – Escritos e experiências em educação, destacando diversas experiências de ensino durante a pandemia. Dentre elas, está o projeto educacional da Maré UniFavela, no capítulo intitulado A vida não pode parar: desafios da população periférica no desenvolvimento de comunidades remotas de ensino e aprendizagem. O texto e todo o material já está disponível para leitura aqui.

Defensoria Pública em Ação na Maré

No dia 14 de novembro vai acontecer mais uma edição do projeto “Defensoria Pública em Ação na Maré”. O evento realizado pela Defensoria Pública do Rio tem como objetivo garantir o acesso à justiça aos moradores da comunidade. Nesta edição, a iniciativa é levar atendimento de demandas da área cível e criminal, que serão levantadas pela equipe Redes da Maré e informadas previamente à DPRJ. Os atendimentos serão realizados pela plataforma Google Meets e irão acontecer por escala em três salas virtuais, duas para a área cível e uma para a criminal. Os interessados em participar do projeto devem buscar a Redes da Maré para fazer o pré-agendamento enviando mensagem via Whatsapp para o número (21) 99924-6462, de segunda a sexta-feira, das 14h às 17h. As próximas ações serão realizadas nos dias 12 de dezembro e 16 de janeiro, das 9h às 15h, também via Google Meets.

A favela reinventa a cidade

Nesta quarta (04) aconteceu o lançamento on-line do livro A Favela reinventa a Cidade, onde se apresenta um novo e possível projeto para a cidade do Rio de Janeiro, pensando a partir da realidade da favela, com um olhar de dentro para fora. A publicação da EDUNIperiferias foi escrita pelos geógrafos Jailson de Souza e Silva, Jorge Luiz Barbosa e Mário Pires Simão e já está à venda pela editora Mórula.

Perdeu os posts da semana aqui do MN? A gente acha para você!

Terça-feira (03/11):

  • Maré de Notícias: Está no ar e nas ruas da Maré a edição #118 do Jornal Maré de Notícias. Leia mais.
  • Miss Beleza T Brasil sofre racismo após coroação. Por Leonardo Nogueira. Leia mais

Quarta-feira (04/11):

  • Alô, dona de casa! O carro de som chegou!. Por Thaís Cavalcante. Leia mais.
  • Dia da favela: O nosso dia irá chegar. Por Fillipe dos Anjos, Secretário Geral da Faferj. Leia mais

Sexta-feira (06/11):

  • Favela também é lugar de adoção. Por Hélio Euclides. Leia mais.
  • Vai votar, mas você sabe pra quê?. Por Daniele Moura. Leia mais.
  • Em sua homenagem, rua da Maré pode ganhar nome de Marielle Franco. Por Thaís Cavalcante. Leia mais.
  • #CaiuNaRede: 

Checagem 1: É falso que insetos no morango transmitem hepatite.

Checagem 2: É falso que vídeo “Argentina está conseguindo” vai hackear seu celular

Checagem 3:  É falso que Coca Cola Brasil abriu 23 mil vagas de trabalho

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui