Ronda: Mortes por covid-19 caem 75% na Maré, mas alta de casos ainda preocupa

Ronda: Mortes por covid-19 caem 75% na Maré, mas alta de casos ainda preocupa

Por Tamyres Matos, em 10/09/2021 às 17h

Com a ampliação do alcance da vacinação, o número de mortes por covid-19 teve uma queda de 75% no conjunto de favelas da Maré. No entanto, a situação ainda gera apreensão, pois houve um aumento de 91% na quantidade de casos da doença no mês de agosto (em relação a julho) na mesma região. Os dados foram coletados pelo boletim “Dados do Conexão Saúde: de olho no Corona”.

Segundo informações apresentadas na transmissão do 36º Boletim Epidemiológico da Prefeitura do Rio, a cidade reclassificou seis das 33 regiões administrativas do município para o risco moderado de transmissão da covid-19 (cor amarela). As regiões são a Portuária, São Conrado, Penha, Ilha de Paquetá, Santa Teresa e Barra da Tijuca. As outras 27 regiões seguem com risco alto, de cor laranja e as medidas de proteção e distanciamento foram prorrogadas até o dia 20 de setembro.

Daniel Soranz, secretário de Saúde do Rio, destacou que a variante Delta já responde por 95,8% dos casos de covid-19 na cidade, mas tem apresentado uma menor letalidade, o que teria relação direta com o avanço da vacinação. “Já tivemos 1.400 pacientes internados com covid-19 e agora temos 683, é uma queda de mais de 50%. Temos fila zerada, então não faz sentido manter os leitos para covid. Nas últimas duas semanas, começamos a ver uma queda muito expressiva de solicitações de internações hospitalares. A gente já esperava que isso fosse acontecer com o aumento da cobertura vacinal”, explicou.

De acordo com o secretário, 55,7% dos adultos da cidade já estão totalmente vacinados, com a dose única da Jansen ou com as duas doses da Coronavac, Astrazeneca ou Pfizer.

Avanço da vacinação

O Rio de Janeiro superou a marca de 8 milhões de doses das vacinas contra a covid-19 aplicadas na cidade, segundo a Prefeitura. Esse total representa 91,9% da população carioca elegível para a vacinação (a partir de 12 anos) com a imunização iniciada ou concluída. Entre as pessoas que precisam das duas doses para completar a imunização, 2.803.509 já receberam a segunda dose, o equivalente a 50,9% da população elegível com a imunização completa. As doses de reforço em idosos somam 6.140 aplicações.

Depois de uma semana suspenso devido ao atraso na entrega de imunizantes pelo Ministério da Saúde, órgão responsável pelo envio de remessas aos estados e municípios, o calendário de vacinação por idade do Rio foi retomado na última quarta-feira (8). Meninas de 15 anos puderam receber sua primeira dose de Pfizer – único imunizante liberado pela Anvisa para uso em adolescentes – nos dias 8 e 9 de setembro. Nesta sexta-feira (10), foi a vez dos meninos de 15 anos. Para prosseguimento com as demais faixas etárias, em ordem decrescente, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) aguarda a chegada de mais vacinas.

Neste sábado (11), está prevista repescagem para adolescentes de 15 a 17 anos; gestantes, puérperas, lactantes e pessoas com deficiência (PcD) com 12 anos ou mais; além da aplicação da segunda dose. Os postos de vacinação funcionarão das 8h ao meio-dia.

Covid-19 nas favelas

De acordo com o Painel Unificador COVID-19 Nas Favelas, são 96.328 casos e 6.805 mortes nas 360 favelas monitoradas. O Conjunto de Favelas da Maré é o 1º lugar nos registros de óbitos e casos dentre as comunidades cariocas. Ao todo, são 8.435 casos confirmados e 348 mortes nas 16 favelas mareenses. Na lista, ainda permanecem em ordem como principais pontos de infecção e óbitos: Rocinha (3720 casos/140 mortes), Fazenda Coqueiro (3590 casos/238 mortes), Alemão (2981/165 mortes), e Complexo da Penha (2432 casos/118 mortes).

Covid-19 no Brasil

Segundo o consórcio de veículos de imprensa (O Globo, Folha de São Paulo, Estado de São Paulo, Extra e UOL), o Brasil registra mais de 585.205 desde o início da pandemia. O balanço é feito a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde. Aos familiares, parentes e amigos, nosso abraço.

Maré de cultura

O Festival de Teatro Universitário, conhecido como FESTU, que teve início no dia 3 e vai acontecer até o dia 30 de setembro, é uma celebração da criatividade. O evento está na 11ª edição e será exibido gratuitamente através de suas plataformas digitais, como em 2020. Os espectadores poderão ver as peças da Mostra de Espetáculos e os esquetes da Mostra Competitiva através do canal do Youtube do festival. Para esta edição, uma novidade: o FESTU traz a Mostra do Minuto, que conta com a participação do público que poderá entrar na brincadeira por meio do canal do TikTok. Confira a programação completa aqui.

Nos dias 14,15 e 16 de setembro, acontece a Mostra Competitiva, que contará com 20 esquetes escolhidas pela curadoria do festival e que concorrerão a diversas premiações. O esquete que for escolhido pelo júri ganhará o patrocínio de R$ 30 mil para a montagem do próprio espetáculo em 2022. Já o esquete escolhido pelo júri popular receberá 15 mil reais para a mesma finalidade. Entre os concorrentes está o mareense Matheus Frazão, da Cia de Teatro da UNIRIO, que concorre com o esquete “Cavalo Alado”. A peça de curta duração é um monólogo que retrata as opressões e abuso de poder nas favelas, sobretudo em dias de operação policial.

Criado em 2010 pelo produtor cultural Miguel Colker e pelo diretor Felipe Cabral, o FESTU é considerado o principal festival de teatro universitário do país e, este ano, terá o seu júri técnico liderado pelos atores Babu Santana e Malu Galli, que se juntam a outras estrelas que participaram das edições anteriores, como Lilia Cabral, Miguel Falabella, José Wilker, Patricia Pillar e José de Abreu. De acordo com a organização, o festival também é responsável por revelar jovens talentos, como Jéssica Ellen, Johnny Massaro e Karina Ramil.

Feirinha no Humaitá

O Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto, no Humaitá, promove no próximo sábado (11), das 9h às 15h, mais uma feirinha com entrada gratuita e atrações ao ar livre. A edição será animada por Arthur Valladao (MPB voz e violão), DJ Suzykill (música brasileira) e Chorinho da Pedra Preta, com Manoela Marinho no cavaquinho, Pedro Pamplona nos sopros, Pedro Mazzillo no violão e Ricardo Cotrim na percussão. Haverá também acarajé, hambúrguer, artesanato e brecholeiras. Tudo isto seguindo todas as medidas protocolares estabelecidas no combate à covid-19.

Mostra de cinema

A 10ª Mostra Ecofalante de Cinema exibe em primeira mão a nova remasterização do clássico “O Prisioneiro da Grade de Ferro (Autorretratos)”, de Paulo Sacramento. O filme está disponível no site oficial da mostra. O premiado documentário faz parte do programa especial Territórios Urbanos: Segregação, Violência e Resistência, que consiste em uma seleção de 16 importantes filmes brasileiros realizados nas últimas duas décadas e que tratam da realidade urbana do país. 

Alguns desses filmes são clássicos do cinema nacional como “Notícias de Uma Guerra Particular”, de João Moreira Salles, “Auto de Resistência”, Natasha Neri e Lula Carvalho, e “Elevado 3.5”, de João Sodré, Maíra Buhler e Paulo Pastorelo. Além de obras de uma nova e promissora geração de cineastas brasileiros como Affonso Uchoa (“A Vizinhança do Tigre”), Alice Riff (“Meu Corpo é Político”), Pedro Rocha (“Corpo Delito”) e Camila de Moraes (“O Caso do Homem Errado”).

Edital contra a violência de gênero

O Observatório de Favelas, por meio do Programa de Direito à Vida e Segurança Pública, abre edital de chamada pública para selecionar e premiar trabalhos fotográficos produzidos por mulheres (cis e transgênero) que tem o enfrentamento à violência de gênero como pauta de suas produções. O edital “Cenas DELAS” recebe inscrições até 15 de setembro de 2021 e pretende premiar cinco fotografias que tenham como foco a temática de violência contra mulheres.Cada artista selecionada receberá uma premiação no valor de mil reais pelo trabalho desenvolvido.

Fique por dentro: confira destaques da semana no Maré de Notícias!

Sábado, 04/09
‘Quem não sonhou em ser um jogador de futebol?’, por Hélio Euclides

Segunda-feira, 06/09
Remando a favor da Maré: arte e resiliência em resposta aos impactos da violência na saúde mental, por Ana Clara Alves, Edu Carvalho e Tamyres Matos
De olho na mobilidade: como se movimentam os mareenses, por Ana Clara Alves e Tamyres Matos

Terça-feira, 07/09
‘Meu filho foi alvo de racismo, por Amanda Pinheiro

Quarta-feira, 08/09
Frequentadores reclamam de degradação da Vila Olímpica da Maré, por Hélio Euclides
Vacinação de adolescentes retoma nesta quarta-feira no Rio, por Edu Carvalho
Campanha de Vacinação Antirrábica será feita nos bairros de forma escalonada, por Redação

Quinta-feira, 09/09
Liderança pelo meio ambiente na Maré, Valdirene Militão inspira ações de impacto, por Edu Carvalho
Educação inclusiva para que te quero?, por Tamyres Matos
Ex-pessoa em situação de rua, escritor Léo Motta lança segundo livro, por Edu Carvalho

Sexta-feira, 10/09
Estado do Rio distribui mais de 265 mil vacinas contra covid-19 nesta sexta e sábado, por Edu Carvalho
Prefeitura lança plataforma VoluntaRIO de doações on-line para a população vulnerável, por Redação
Prestes a encerrar investigações, Polícia aponta traficantes como culpados pelas mortes de meninos de Belford Roxo, por Edu Carvalho
Incêndio atinge Creche Municipal Pescador Albano Rosa, na Vila dos Pinheiros, por Edu Carvalho

Se você encontrou um erro de ortografia, notifique-nos por favor, selecionando o texto e pressionar Ctrl + Enter.

Tamyres Matos

Artigos relacionados

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Obrigado!

Nossos editores são notificados.